FLUXO DE CAIXA PARA AS EMPRESAS (PARTE 1)

O crescimento sustentável das empresas depende de diversos fatores, entre os quais estratégia de marketing, vendas, processos operacionais e uma boa gestão financeira, todos eles essenciais para um desenvolvimento conciso, duradouro e eficaz.

O princípio da administração financeira é, fundamentalmente, cuidar em ter numerário para saldar em tempo hábil os compromissos assumidos com terceiros e maximizar os lucros. Sendo assim, a meta é liquidez versus rentabilidade.

Uma eficiente administração financeira centraliza-se na capacitação, aplicação dos recursos necessários e distribuição eficiente dos mesmos, para que a empresa possa operar de acordo com os objetivos e as metas a que se propõem a sua gestão.

O caixa é o centro dos resultados, para a tomada de decisões financeiras, e representa a “disponibilidade imediata”, ou seja, é diferente do “resultado econômico contábil”, sendo utilizado somente o regime de caixa, e não de competência (contábil).

No “Fluxo de Caixa” ocorre o registro dos fatos e valores que provoquem alterações no saldo de caixa e sua apresentação em relatórios estruturados, de forma a permitir a compreensão e análise, consistindo em uma representação gráfica (geralmente em planilhas ou softwares específicos), contendo cronologicamente toda a movimentação financeira da empresa, referente a um período específico, que relaciona o conjunto de ingressos e de desembolsos de recursos financeiros em um determinado período.

A expressão “caixa” significa “moeda” e todos os valores que possam ser prontamente convertidos em moeda, tais como dinheiro em espécie, depósitos bancários, cheques que possam ser depositados irrestritamente e imediatamente e aplicações financeiras de curtíssimo prazo.

Atualmente é o principal instrumento para uma eficiente gestão financeira, planejando, controlando e analisando as receitas, as despesas e os investimentos, considerando um determinado período projetado.

Permite que o gestor realize o lançamento das contas a pagar e dos direitos a receber, além de estimativas de receitas e despesas, apurando assim, o saldo disponível, ou indisponível, possibilitando que as decisões sejam tomadas antecipadamente. É um poderoso instrumento gerencial, usado na antecipação de problemas de liquidez e endividamento, rentabilidade, lucratividade e eficácia empresarial.

Apesar de ser um instrumento importantíssimo de gestão empresarial e financeira, o “Fluxo de Caixa” é quase completamente desconhecido pelas empresas e desprezado pelo meio acadêmico. Os livros que tratam do assunto são poucos e, quase sempre, ruins.

As empresas olham para o fluxo realizado apenas para verem se o saldo no período foi positivo ou não. Quanto ao fluxo projetado, este tem sido usado, quase que exclusivamente, para verificar se a empresa terá recursos suficientes para pagar suas contas, e não como um instrumento de gestão financeira e empresarial, auxiliando na tomada de decisões dos gestores.

O Fluxo de Caixa pode ser conceituado também em:

Função do tempo de sua projeção. Em curto prazo, para atender às necessidades da empresa, principalmente, de capital de giro, e em longo prazo, para fins de investimento em itens do ativo permanente, podendo ser: Realizado ou Projetado.

Fluxo de Caixa Realizado”: é o produto final da integração das entradas e das saídas ocorridas em um determinado período, de forma temporal (diário, semanal, mensal ou anual), permite que a empresa tenha um melhor acompanhamento financeiro.

Fluxo de Caixa Projetado”: é o produto final da integração das entradas e das saídas em um determinado período futuro, visa demonstrar e projetar, em períodos futuros, o resultado financeiro, permitindo a consolidação de informações das contas a pagar e dos direitos a receber, além de estimativas de receitas e despesas, apurando o saldo disponível, ou indisponível, possibilitando que as decisões sejam tomadas de forma a antecipar problemas de liquidez e endividamento, rentabilidade, lucratividade e eficácia empresarial.

Tem como principal objetivo antever receitas e despesas futuras, de forma que você possa manter o orçamento da empresa preparado para arcar com as despesas e gerenciar adequadamente todos os prazos das contas a pagar e a receber.

Avaliar o fluxo de caixa projetado é essencial para não ser pego de surpresa e para enxergar com mais clareza a situação futura de suas finanças.

Fluxo de caixa projetado é uma estimativa de datas e quantidade de dinheiro que você espera que passe pela sua empresa, incluindo todas as receitas e despesas.

O fluxo de caixa projetado funciona como uma régua que mostra qual o período entre vender e receber uma mercadoria, quando repor o estoque, entre outros aspectos. É também capaz de indicar as melhores datas para pagar fornecedores e para vencimentos, por exemplo.

Marco Antonio Granado é empresário contábil, contador, bacharel em direito, pós-graduado em direito tributário e consultor tributário e contábil do SINFAC-SP – Sindicato das Sociedades de Fomento Mercantil Factoring do Estado de São Paulo.

Video institucional

Cursos EAD

Fotos dos Eventos

Sobre o Sinfac-SP

O SINFAC-SP está localizado na
Rua Libero Badaró, 425 conj. 183, Centro, São Paulo, SP.
Atendemos de segunda a sexta-feira, das 9 às 18 horas.